Self-taught, Thinker, Developer

Seu trabalho vale mais que o seu salário

Antes de começar quero avisar que esse post não é sobre como pedir um aumento pro seu chefe

Gostaria de você fizesse uma conta básica: quantos horas você trabalha por dia, multiplicado pelo número de dias no ano que você trabalha, por fim, multiplique esse valor pelo número de anos que você acredita que precisará trabalhar até se aposentar.

Muito horas não é mesmo? Se ignorarmos o fator hora e contarmos apenas os meses, ou até mesmo somente os anos, ainda continua sendo muito tempo.

O que mais chama atenção é o fato de que muitas pessoas se mostram descontentes como seus empregos. Algumas conseguem passar pela vida sem mesmo se questionar sobre o que estão fazendo, ou até mesmo refletir sobre o quão prejudicial aquele trabalho é para elas.

Me lembro quando uma vez fui perguntado sobre por qual razão havia escolhido ser programador, e minha resposta foi: “Por que gosto disso!”. Foi possível perceber na reação do meu entrevistador que aquela resposta parecia um tanto quanto utópica, porém era (e é) a mais pura verdade.

Quando era mais jovem, muitas pessoas acreditavam que eu seria um artista, já que sempre tive aptidão para desenhar, mas nunca me senti complementente “profissional” em relação ao desenho, porém como desenvolver de software isso sempre foi mais que certo.

Minha paixão por desenvolvimento sempre foi tão grande que em diversos momentos da minha carreira aceitei empregos com remunerações menores apenas com o intuito de ter a oportunidade de aprender mais.

Muitas pessoas tem receio de tentar novos empregos e as vezes ficam estagnadas em um que não lhes agradam, algumas vezes por ego (medo de tentar mudar e falhar) ou por questões financeiras, já que é tão comum termos alocados boa parte da nossas receitas em contas ou dívidas.

O que muitas pessoas não percebem porém, é que estar em um local de trabalho que não as completam é prejudicial no longo prazo, você recebe o benefício agora (dinheiro), porém você está trocando sua felicidade, bem estar e as vezes até sua saúde por isso.

Também não estou falando de mudanças absurdas, sobre vender tudo e virar um nomâde (a menos que seja isso que você realmente queira), estou falando sobre achar algo que realmente te faça feliz, te coplete. Algo que você gosta tanto de fazer que faria até mesmo de graça.

O primeiro passo após identificar o que você ama, é se livrar das amarras que seu emprego atual possui sobre você. Se tiver dívidas livre-se delas o mais rápido possível. Muitas pessoas nesse momento devem estar torcendo o nariz e se perguntando: Como? A resposta é simples, gaste menos, economize mais, guarde o dinheiro extra. Estou cansado de ouvir pessoas dizerem que não dá, que não sabem onde economizar, etc. Meu único conselho é: Quem quer dar um jeito, que não quer uma desculpa.

O segundo passo é no tempo livre ir se aprimorando naquele assunto que você escolheu. Talvez fazer aulas, ou cursos online. A partir do momento que você tiver um level de proficiência razoável é hora de começar a pensar em planos sobre como monetizar essa sua nova habilidade. E nesse momento existem diversas formas, seja fazendo freelance, seja um emprego junior, seja criando sua própria empresa naquele ramo. Enfim, o céu é o limite; mas não se iluda, não é fácil e nem é da noite para o dia, tudo requer tempo, dedicação e força de vontade - boa sorte.